quinta-feira

Heart Of Gold






Ela não gosta do escuro, mas não permite que acendam as luzes.
O silêncio a mantém fria enquanto rachaduras se formam em seu coração
Hoje à noite ela teve seu espírito esmagado novamente, apenas porque não se encaixa
Cortou-se com os seus erros e deixou toda a esperança em um risco de giz
Tudo o que precisava estava disfarçado em conversas de duplo sentido
Então, machucou-se e deixou doer

Talvez ela pense demais, pense já ter dado o bastante
Sua aparência sempre era julgada por todos
Enquanto, sozinha, chorava lágrimas silenciosas cheias de orgulho
Sempre à procura do amor, está começando a pensar que é amaldiçoada
Quer encontrá-la? Procure pela garota com o sorriso partido

Ela canta: 'Eu quero saber o que é amor
Mas parece que vêm com tanta dor
Se ninguém quer me mostrar
Parece mais fácil simplesmente fugir
Quando eu me for, será apenas um centavo pela minha alma
Mas Deus sabe, eu tenho um coração de ouro'


Isso tudo desde que era uma menininha
Ela não ligava para fama, moda ou dinheiro
Queria apenas caminhar pelo mundo, ouvir que é uma linda garota
Mas, agora a mudança é clara
Desta vez, sua cabeça está feita
Vivemos em um mundo cínico

Ficaram os pedacinhos dela
Restos do que era antes
Só agora eles saberão que ela tem um coração de ouro
Mas então, ela ficou presa nas entrelinhas
Ninguém a viu voltar

Será que ela ainda sente?



Adaptação:
Heart Of Gold - James Blunt
Best Laid Plans - James Blunt
Suddenly I See -  KT Tunstall
She Will Be Loved - Maroon 5








Para gostar de ler #1


No último domingo aconteceu a primeira reunião do grupo Circulo do Livro. Esse grupo "é um clube de leitura online. A reunião é feita pelo Facebook, onde é discutido o livro do mês e é indicado um novo livro para o próximo mês." Para mais informações podem visitar a página do grupo no Facebook e se pá ler as regras.
O livro escolhido para esse mês, como era a vez de um clássico, foi Orgulho e Preconceito, de Jane Austen. Ótima escolha, visto que o filme homônimo produzido em 2005 é um dos meus favoritos, tive certeza que a leitura seria agradável.

Primeiro a odisseia para encontrar o livro. Oh, mas é um clássico. Encontramos em qualquer lugar! Mas não é? 
Amigos: x, biblioteca: x. Ah, quer saber? Vou comprar esse livro e pronto. Estava me sentindo o 'Fuck yeah' quando me deparo com a indisponibilidade do livro no Submarino (esse é o único site onde me dou ao luxo de comprar algo devido ao valor do frete). Só restou uma alternativa: e-book. Esse sim foi fácil. Peguei o primeiro arquivo: 520 páginas! 


Algumas horas depois procurei novamente e encontrei um de 290! 


Um dos nomes de maior prestígio da literatura inglesa, Jane Austen (1775-1817) começou a manifestar talento para as letras ainda na adolescência. Seus romances descrevem, com notável argúcia e sutil ironia, a sociedade rural inglesa de seu tempo, por meio de entrelaçamento de personagens e sentimentos da vida comum. 

Orgulho e Preconceito (1813) é a envolvente história de Fitzwillian Darcy e Elizabeth Bennet, os quais, à primeira vista (aliás, Fisrt Impressions, "Primeiras impressões", foi o título originalmente dado por Jane Austen a esta obra), não têm uma boa opinião um do outro, mas, no desenvolvimento do enredo, acabam descobrindo que estavam totalmente enganados. 

Orgulho e Preconceito é a obra mais aclamada desta autora, não só no Reino Unido como em todo mundo, e tem sido frequentemente adaptada para o cinema, televisão e teatro, com grande sucesso de público e crítica. 


"É uma verdade universalmente concebida que um homem solteiro que possui uma grande fortuna deve estar à procura de uma esposa".


A escrita de Jane Auten é espetacular! Em cada linha eu sentia uma leve ironia, mesmo nos momentos tensos. No início temos a impressão de que os personagens principais são Jane (irmã de Lizzy) e Bingley (amigo de Darcy). Esses quatro são os personagens mais normais, se é que podemos dizer assim, já que os todos os outros são caricaturas muito bem feitas de vários estilos e personalidades. Se bem que a Jane não é muito normal, pois ela não consegue ver maldade em quase nada. Para ela sempre tem um outro lado da história...

Lizzy é a ironia em pessoa. Sendo essa uma característica que herdou, e muito bem, de seu pai, que a tem como favorita. Ao mesmo tempo em que faz o papel de uma anti-heroína inteligente e carismática é também muito orgulhosa e deveras preconceituosa.

A primeira impressão que todos têm do Mr. Darcy  é a de um homem orgulhoso, antipático, pedante, arrogante, rude... e por aí vai. Tudo de ruim imaginavam sobre ele, que também era muito (muito mesmo!) rico. Realmente ele era muito orgulhoso e preconceituoso, mas como disse a Lizzy também tinha certa dose desses defeitos.

Lizzy e Mr. Darcy, confronto no baile. ^^

Com o tempo eles acabam descobrindo mais um sobre o outro, quebrando tabus, e derrubando de vez (ou não!) o preconceito e o orgulho e primeiras impressões sempre passam...

Mesmo deixando alguns motivos fisiológicos de lado, meu personagem favorito continua sendo o Mr. Darcy, pois eu o entendo perfeitamente. Um misantropo entende o outro, sabe? Ele diz que não consegue manter uma conversa com quem não tem tanta intimidade e logo deixa isso claro. É verdade também que ele conserva uma certa prepotência sobre o fato de possuir uma posição social elevado (fato que não compartilhamos!), pois seus próprios pais o criaram assim, como se ele fosse superior a outras pessoas menos afortunadas. Depois de "engolir sapos" quando Lizzy o faz enxergar que as coisas não são bem assim ele muda algumas de suas atitudes para com os outros e principalmente com ela, se mostrando mais... Comunicativo. 

Bem mais "simpático", não?


Se você quer um clássico ao mesmo tempo romântico e pouco (muito pouco) meloso, esse é o livro! Alguns enfatizam a linguagem do livro que é um pouco densa, por ser um clássico e tudo mais, e apesar de não ter visto nenhum problema quanto a isso, já deixo aqui o aviso. 

Ah, quem quiser participar do grupo fique à vontade, o livro desse mês já foi escolhido: Os Delírios de Consumo de Becky Bloom. 
 


.



quarta-feira

Promises


Depois de muitos anos sem se verem, dois amigos (ou ex-amigos) de infância se reencontram em uma festa de casamento de uma amiga em comum.
[…]
_ Você se lembra de quando éramos crianças?
_ Sim, eu me lembro... Bons tempos eram aqueles!
_ Verdade! Lembra-se da promessa de que iriamos nós casar quando fossemos “grandes”? (risos)
_ É, éramos muito sonhadores naquela época. (risos)
_ Sim, muito. Nem lembro mais como perdemos o contato...
_ Sério?
_ Sim, é sério. Lembro-me que continuamos com nossas promessas até a adolescência, então fomos para a faculdade, nós separamos por um tempo. Depois... Eu não consigo me lembrar do que aconteceu...
_ Você se casou.
[...]


Gessy

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...