quarta-feira

Cenários do lado imaginário


Eu moro num cenário
Do lado imaginário
Eu entro e saio sempre
Quando 'tô' a fim... 
Coisas Que Eu Sei
Danni Carlos


Não se recordava muito bem de como aquilo tudo começou, mas lembrava bem do motivo. Às vezes se refugiar dentro de sua própria cabeça e de seus próprios sonhos pode ser reconfortante, embora, muitas vezes, perigoso. Por muito tempo colheu os frutos de sua escolha, o mundo dos sonhos. Um mundo de vários outros mundos. Mundo onde você poderia ser quem quiser, onde quiser e fazer o que bem entendesse. 
Quando dormia era mais fácil se transportar para esse mundo. Possuía mais poder, e mais opções de realidades alternativas. Com o tempo conseguia fazer coisas inacreditáveis enquanto dormia, coisas que poucas pessoas sabem que são capazes de fazer. Chegou a dormir por dezoito horas seguidas. Mas por um motivo justificável: tinha muita coisa para fazer no outro mundo antes de voltar para este. Então começaram a questionar que ela dormia demais, e, como todo ser humano, tinha suas obrigações e precisava cumpri-las.
Deixou de sonhar? Claro que não! Começou a sonhar com os olhos abertos. A cada instante livre do seu tempo atravessava o portal para o outro mundo. Passou a fazer isso enquanto conversava com outras pessoas, bastava se fixar em algo, desejar e lá estava ela no mundo dos sonhos. 
Oi? Terra, chamando. Alô! Está me ouvindo? Estou falando com você! Presta atenção! 
As pessoas não entendiam, a pintavam por distraída, desinteressada, desligada... Bom, esse último termo poderia sim, se encaixar ao que acontecia a ela. 
Era nesses cenários imaginários que passou a se refugiar de tudo e de todos. Seria algo incrível, deveras, se os problemas não começassem a surgir. 
Passou a se confundir entre os mundos. Suas lembranças começaram a se mesclar e questionamento como: "É lembrança de um sonho ou de algo que realmente aconteceu? Estou sonhando agora ou está é a minha verdadeira realidade?", tornaram-se muito frequentes.
Aprendeu muito, cicatrizou muitas dores, e fez tudo o mais que podia em seus sonhos. Essa era uma maneira covarde de agir? Se enclausurando em sua própria dor e criando mundos alternativos? Bom, talvez. Mas era a escolha dela. Quem somos nós para julgar alguém por isso...
Mas tudo sempre tem um fim, e ela viu seu incrível mundo dos sonhos ruindo quando não conseguiu mais controlar a situação em que ela própria se meteu: distinguir realidade de sonhos. 
Precisava escolher apenas um mundo. Por que não o dos sonhos? Sim, escolheu esse. Era muito mais divertido, ora bolas! Passou a agir como um zumbi mas sem fome de carne e cérebro, apenas de... Sonhos. 
Os sonhos se tornaram sua droga pesada. Mas até quando poderia viver assim? Precisava de outra solução. Sua imaginação sempre estava a todo vapor. Será que era mesmo imaginação? Será que não tinha descoberto os segredos de como acessar outros universos paralelos? Será que aquilo tudo era apenas imaginação de uma mente muito fértil? Ou... Teorias não faltam sobre essas possibilidades extraordinárias. 
Imaginação ou não, a solução surgiu em seus próprios sonhos. Descobriu a solução de seus problemas oníricos. Poderia sempre visitar todos aqueles mundos paralelos, ou imaginários, e continuar vivendo aqui, na nossa realidade, ela poderia fazer algo que sonhadores, alguns como ela, aprenderam depois de muito sonhar: escrever livros
contos

e/ou blog



6 comentários:

  1. A mente é o melhor esconderijo de uma alma indefesa. A fantasia, a terra dos sonhos, onde tudo pode acontecer. Nada é tão belo quanto a imaginação, a nossa fantasia. Onde vivemos, aprendemos, onde fazemos e desfazemos. Onde acordamos e dormimos, onde morremos.

    ResponderExcluir
  2. Ainda bem que conseguiu equilibrar entre esse, assim podemos viver mais feliz ou confortável, enfim... Hoje está existindo muitas pessoas assim, não acredito muito que eu seja uma delas, porque não sei transportar os sonhos para as letras, ou então estou em fase de aprendizagem...

    ResponderExcluir
  3. Mas sonhos também morrem... Talvez seja uma forma descontraída de lidar com a própria vida – nesse universo paralelo. É o que nos impulsiona a continuar, enquanto ciclos se fecham, eles nos renovam para outro que se inicia. Se as pessoas transportassem a ideia de que “tudo é possível” do mundo das fantasias para a realidade, seríamos mais felizes e realizados, apesar das limitações.

    Beijo, bom ano, menina. :)

    ResponderExcluir
  4. Estamos em constante sintonia ao pecado, sedutor e mortal.

    Estou aqui novamente, para não perder-me de você, tenha um ótimo dia. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Me identifiquei tanto com isso. Escrever ou frutos consequentes destes, é uma forma de perpetuar essa preciosidade que muitas vezes se perde nos minutos dessa tão clichê, tão monótoma, tão cotidiana para os sonhadores, realidade. Adorei o blog! Beijos ;*

    ResponderExcluir
  6. Foi um final/decisão muito inteligente da parte dela.
    Gostei do desencadear do texto.

    Beijo.

    ResponderExcluir

Comente! Don't be afraid, apenas let it be.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...