sexta-feira

"Não desperdice um amor"

 



Toca o telefone...
Uma voz mansa e suave responde do outro lado da linha:

ELE: Alô?
ELA: Olá!
ELE: Quem é?
ELA: Sou eu, a felicidade iludida.
ELE: O que você quer?
ELA: Dizer que eu te amo
ELE: De novo? Eu já ouvi isso umas 15 vezes. Você não cansa?
ELA: Quem ama não cansa...
ELE: Mas eu canso... Eu não a amo!
ELA: O quê?
ELE: É isso mesmo, eu iludo e por isso me chamo ilusão do amor.

Neste exato momento uma lágrima de sangue corre à face da menina até o momento de desabar no chão.

ELA: Como você pode dizer isso?
ELE: Dizendo oras. Não devo nada a ninguem.
ELA: Não deve nada?
ELE: É claro que não.
ELA: Deve sim. Seu amor.
ELE: Hã? Amor?
ELA: Sim... Você me faz voar tão alto e agora diz que não me ama?
ELE: Você deve estar ficando louca!

E as lágrimas insistentemente não paravam de rolar...

ELA: Estou louca mesmo... Pois acreditei em você.
ELE: Você sabia que era só amizade, não é?
ELA: É claro que não... Você veio falando coisas românticas, fascinando-me só com palavras e ainda me deu um beijo...
ELE: Um beijo? Aquilo nem foi beijo...
ELA: Não foi? O que foi então?
ELE: Um selinho...
ELA: E selinho não é beijo?
ELE: Não.
ELA: Quer dizer que eu não significo nada pra você?
ELE: Significa...
ELA: O que?
ELE: Uma bela de uma conta a mais no final do mês. Agora vou desligar.
ELA: Não... Por favor!
ELE: Por que?
ELA: Porque eu te amo...
ELE: Qual o valor que seu amor vai me dar?
ELA: Felicidade.
ELE: Eu espero coisas materiais...
ELA: Eu vou ser sua...
ELE: Isso não vale... Quanto você custa?
ELA: Por que esta pergunta?
ELE: Se eu enjoar posso te colocar na bolsa de valores?
ELA: O que fiz para me tratar assim?
ELE: Me amar! Agora vou desligar!
ELA: Não, por favor!!!
ELE: Quer parar com isso? Não enche!
ELA: Não por favor, não desligue.
ELE: ?
ELA: Fala comigo...
ELE: ?
ELA: Pelo amor de Deus, responda que me ama!
ELE: Escute aqui, eu já estou farto de você. Agora ve se me esquece.
ELA: Eu prefiro morrer a te esquecer.
ELE: Ah é? Então se mata!

TU, TU, TU...

ELA: Não... por favor... não faça isso comigo! Eu te amo!

ALGUNS DIAS DEPOIS...

- Do que morreu esta garota? - perguntou um curioso...
- De intoxicação provavelmente... tomou vários remédios em muitas quantidades. - respondeu a enfermeira
- Coitada... ela tinha algum problema?
- Sim, sofria de amor...

E então, no dia do enterro da menina, o garoto o qual ela amava,
comparecia no local prestando sua ultima homenagem, jogou uma rosa vermelha e falou baixinho:

- Eu te amo!

E lá em cima... Ela olhando tudo, respondeu para si, e para os quatro
ventos que sopravam:

- Tarde demais


Moral da história: Só damos valor as pessoas, as amizades até ao amor depois que perdemos.Ok.
Agora vamos a realidade: Dizem que devemos amar. É. Mas não ame intensamente, a ponto de se matar por uma pessoa que nem liga pra você! Não vale a pena. Aliás, por ninguém. "Precisamos ser fortes e entendermos que antes de amarmos alguém, é necessário que amemos primeiro a nós mesmos."

4 comentários:

  1. História tragica, coitada da menina, é por isso que as meninas tem que conhcer bem o rapaz antes de qualquer coisa, mais na maioria das vezes não é isso que acontece.bjo

    ResponderExcluir
  2. Nossa!!!
    Triste geral... aêe
    Fiquei besta com esse texto...
    Muito trágico.. kkkkk

    ResponderExcluir
  3. Amei esse texto. Muito digno de refletir até onde iríamos por nós mesmos.

    ResponderExcluir
  4. Onde tá o amor próprio ?
    Pasma...
    =/

    ResponderExcluir

Comente! Don't be afraid, apenas let it be.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...